“Preste atenção em você”. Essa foi a proposta que a psicóloga e trabalhadora espírita Marta Leão apresentou aos evangelizadores do Lar de Maria no dia 31 de maio em reunião online. O encontro serviu para que Marta abordasse o tema da saúde mental (Oficina “Buscando luz durante a pandemia”), a partir da relação entre o aspecto emocional e prática cotidiana da parte dos cidadãos e o contexto da pandemia da covid- 19.

A reunião começou com uma dinâmica em que foi proposto a cada um dos evangelizadores segurar uma folha de papel e balançá-la, obedecendo ao comando da psicóloga. Todos ouviram o som que o objeto produzia. Em dado momento, a folha de papel que antes balançar vá foi toda amassada, cabendo dentro de uma das mãos de cada evangelizador.

Dobraduras

Em uma analogia direta, na folha em estado anterior simbolizava uma pessoa antes da pandemia e, agora, toda amassada representava o estado atual de cada pessoa no contexto do novo coronavírus.

Marta leão convidou, então, cada um dos participantes do encontro a desamassar sua folha de papel, e novamente balançá-la. Constatou-se que a folha voltou a balançar, mas com outro som, como efeito das dobraduras sofridas.

Em seguida, a psicóloga ouviu o relato de cada participante sobre sentimentos visualizados na reunião a partir da dinâmica e seus significados. Marta observou que cada pessoa sempre tem escolhas para dizer se isso lhe serve ou não, como no caso da folha de papel simbolizando um ser vivo.

Fundamental, como ressaltou Marta, é a pessoa buscar integrar experiências, como o momento da pandemia, na sua vida. “Como pudemos verificar não somos mais os mesmos; quando sabemos o que fazer com cada experiência passamos a ser diferentes, abrimos espaço para o novo”, enfatizou.

Nesse processo, o ser humano de ferro descobre a sua interdependência consigo próprio e com todos os demais seres, com o Planeta. “Cada cidadão e responsável por tudo e por todos. Há pessoas que podem entender isso na pandemia e outras, não, por causa da barreira do egoísmo. A pessoa fica fechada numa concha e não consegue se ver no outro”, salientou.

Professor vírus

No entanto, se a pessoa presta atenção em si e no que está a seu redor, ela vai poder entender, por exemplo, como pontuou Marta Leão, que o coronavírus funciona como um professor que veio trazer a lição de mostrar a necessidade de se ter consciência das necessidades reais de cada ser humano (espírito).

Isso ocorre no contexto de Deus como um ente amoroso, misericordioso que nada envia que não seja para o nosso bem.
“Como está no Evangelho: “Bem-aventurados os aflitos”, acrescentou Marta.

O aprendizado com a covid-19 não é nada fácil, é doloroso, por causa dos transtornos e, em especial, da perda de familiares e de outras pessoas. Porém, o momento é de convite a cuidar mais de si, do outro, da família, valorizar os profissionais de saúde, os professores, garis e outras pessoas e situações intrinsicamente relacionados a cada cidadão.

“É importante reconhecer todo sentimento meu e do outro, acolher esse sentimento, refletir e agir, o que inclui possibilidades de crescimento e a minha contribuição a todos neste momento”, finalizou Marta Leão.

Autor: Eduardo Rocha Nascimento

1+